Passar para o conteúdo principal

Educação Ambiental

Acompanhando o dinamismo da evolução de conceitos a nível mundial, a educação ambiental é atualmente entendida no contexto mais amplo do desenvolvimento sustentável, sendo um fator determinante para a integração transversal dos objetivos ambientais nos sectores determinantes do desenvolvimento social e económico. A EA é um processo de aprendizagem ao longo da vida, que visa promover uma cidadania informada e ativa, que garanta o envolvimento e o compromisso de cada um de nós e das organizações que integramos com um futuro sustentável.

 

PainelAPA_ArcadeNoe_CNA1973
SE A POLUIÇÃO CONTINUAR, OUTRA ARCA TEREMOS DE ARRANJAR

Painel de 10m2 pintado coletivamente por alunos da Escola Preparatória Paula Vicente (Lisboa) em 1973, impulsionado pela ação da CNA - Comissão Nacional do Ambiente, e comemorou pela primeira vez em Portugal o DIA MUNDIAL DO AMBIENTE – 5 de junho. Patente na entrada da sede da APA.

A definição de desenvolvimento sustentável que acolhe maior recetividade internacional é a definição apresentada no relatório Brundtland (WCED, 1987): um modelo de desenvolvimento que permite às gerações presentes satisfazer as suas necessidades sem que com isso ponham em risco a possibilidade de as gerações futuras virem a satisfazer as suas próprias necessidades.

De um modo abrangente a APA procura não só desenvolver mas também apoiar iniciativas de educação formal e não formal quer, subsidiariamente, de organizações da sociedade civil, quer de outros organismos do Estado.

Deste modo a APA procura promover de uma forma eficaz e eficiente práticas de cidadania consciente, responsável e ativa em todos os âmbitos da sociedade, para que seja exequível caminhar no sentido da sustentabilidade do desenvolvimento sob o princípio da solidariedade intra e inter gerações.

O pilar ambiental será naturalmente privilegiado entre os critérios de avaliação dos programas, projetos e iniciativas a empreender e a apoiar, não só pelas competências da APA como também pelo facto de frequentemente ser o mais negligenciado.

Em 2017 e na sequência de um processo participativo, foi aprovada a Estratégia Nacional de Educação Ambiental, que pretende estabelecer um compromisso colaborativo, estratégico e de coesão na construção da literacia ambiental em Portugal, através de uma cidadania inclusiva e visionária que conduza a uma mudança de paradigma civilizacional, traduzido em modelos de conduta sustentáveis em todas as dimensões da atividade humana.