Skip to main content

Medição de radão
Locais de trabalho
Prevenção e remediação
Campanha de monitorização
Mapa de suscetibilidade
Plano nacional para o radão

 

Radão

O radão é um gás radioativo de origem natural, não tem cor nem cheiro. 

A inalação de radão é a maior fonte de exposição à radiação ionizante da população contribuindo em mais de 40% para a dose efetiva.

Percentagem da dose anual recebida pela população mundial.
Percentagem da dose anual recebida pela população mundial (adaptado Sources and Effects of Ionizing Radiation, UNSCEAR 2008 Report, Vol. I).

 

Exposição e Efeitos na Saúde

A exposição prolongada ao radão no interior de edifícios é a segunda causa de cancro do pulmão, depois do tabaco, e a primeira causa em não-fumadores. Os fumadores e ex-fumadores estão sujeitos a um risco maior pela ação combinada do tabaco e do radão. Não existe evidência consistente da relação da exposição ao radão com outros tipos de cancro ou patologias. 

O radão produz partículas radioativas no ar que respiramos. Essas partículas ficam retidas nas nossas vias respiratórias e aí emitem radiação provocando lesões nos pulmões. Estas lesões aumentam o risco de cancro do pulmão para exposições prolongadas no tempo.

Esquema ilustrativo da inalação do radão.
Esquema ilustrativo da inalação do radão.

 

Segundo a Organização Mundial de Saúde, estima-se que a exposição ao radão cause entre 3 a 14% dos cancros do pulmão a nível mundial. Em toda a Europa, estima-se que 9% das mortes por cancro do pulmão se devam à exposição ao radão, representando cerca de 2% de todas as mortes por cancro.

O radão está presente em todo lado, no exterior e no interior de edifícios. Todos os edifícios contêm radão e na maioria as concentrações são baixas.

Em Portugal existem certas áreas do país que são mais propensas a ter edifícios níveis elevados de radão no seu interior. Essas áreas podem ser consultadas no mapa de suscetibilidade ao radão. O mapa produzido a partir de um levantamento nacional, a campanha nacional de monitorização do gás radão, é indicador do nível de suscetibilidade ao radão no interior dos edifícios. Mas a única forma de se saber qual a concentração de radão é pela sua medição.

A redução da exposição ao radão no interior dos edifícios é feita através de medidas preventivas instaladas na fase de construção de novos edifícios ou através de medidas corretivas ou de remediação para os edifícios existentes.