Skip to main content

Alguns setores industriais (ver Tabela) podem expor os trabalhadores e o público em geral à radiação ionizante. Esta exposição é consequência da radioatividade natural introduzida involuntariamente nos processos industriais. A exposição acontece devido ao uso de matérias-primas como águas, rochas e minérios com maior teor de radionuclídeos, ou do enriquecimento de radionuclídeos nos resíduos devido ao processo tecnológico.

Estes setores industriais não utilizam estes materiais devido às suas propriedades radioativas. Contudo, como efeito colateral da atividade industrial pode existir um aumento da concentração dos radionuclídeos e consequentemente a exposição indesejável de trabalhadores e do público em geral. Na literatura especializada, estes materiais são denominados de materiais radioativos naturais (em inglês têm o acrónimo “NORM” naturally occurring radioactive materials).

 

Tabela - Lista dos setores industriais que envolvem material radioativo natural, de acordo com o artigo 60.º do Decreto-Lei n.º 108/2018, de 3 de dezembro.

Extração de terras raras a partir de monazita

Produção de adubos fosfatados

Produção de compostos de tório e fabrico de produtos que contêm tório

Produção de cimento, manutenção de fornos de clínquer

Processamento de minério de nióbio/tântalo

Centrais elétricas a carvão, manutenção de caldeiras

Produção de petróleo e gás

Produção de ácido fosfórico

Produção de energia geotérmica

Produção primária de ferro

Produção de pigmento TiO2

Fundição de estanho/chumbo/cobre

Produção térmica de fósforo

Instalações de filtragem de águas subterrâneas

Indústria do zircão e do zircónio

Extração de minérios que não urânio