Skip to main content

Conhecimento

O desafio imediato maior no que respeita ao nexo Ambiente e Saúde é o do CONHECIMENTO.

Encontram-se em curso PROJETOS DE INVESTIGAÇÃO aplicada que agregam enormes recursos, quer de organizações internacionais, quer europeias, quer nacionais.

A APA está envolvida em 2 destes grandes projetos, relacionados com os riscos químicos e com a resistência aos antimicrobianos. Consulte aqui tudo o que está acontecer nestes 2 Projetos.

 

BIOMONITORIZAÇÃO HUMANA

https://www.who.int/teams/environment-climate-change-and-health/chemica…

https://www.oecd.org/env/ehs/aboutchemicalsafetyandbiosafety.htm

https://www.ilo.org/wcmsp5/groups/public/---europe/---ro-geneva/---ilo-…

 

https://www.hbm4eu.eu/

https://echa.europa.eu/pt/home

 

Projeto HBM4EU em Portugal

Direção Geral de Saúde

Fundação para a Ciência e Tecnologia 

Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge 

Escola Superior das Tecnologias de Saúde de Lisboa 

Instituto de Saúde Ambiental da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa  

 

O projeto HBM4EU sobre Biomonitorização Humana no domínio das substâncias químicas pretende desenvolver um inventário de produtos químicos relevantes para a biomonitorização humana e para os quais até ao momento não existem dados de biomonitorização. Pretende também desenvolver e harmonizar métodos para (1) triagem suspeita de compostos emergentes conhecidos e (2) triagem não-alvo de compostos ainda desconhecidos. Obtenção de novos dados sobre Biomonitorização Humana. Identificação de (misturas de) produtos químicos emergentes de exposição e preocupação toxicológica em amostras humanas selecionadas.

Pretende ainda, recolher informação e identificar lacunas de modo a poder durante o seu curso dar resposta ao máximo possível das questões que têm vindo a ser colocadas no âmbito de Ambiente-Saúde mais especificamente no domínio da biomonitorização humana assim, foi identificada uma primeira lista de substâncias prioritárias em colaboração com os formuladores de políticas em 2016, para serem trabalhadas no período 2017-2018, a saber: Família Anilina, Bisfenóis, Cádmio e cromo VI, Misturas químicas, Substâncias emergentes, Retardantes de chama, Hidrocarbonetos policíclicos aromáticos (PAHs), Compostos per- / poli-fluorados, Ftalatos e Hexamoll® DINCH

Uma segunda ronda de priorização foi realizada entre 2017 e 2018. A 2ª lista de substâncias prioritárias do HBM4EU inclui: Acrilamida, Solventes apróticos, Arsênico, Diisocianatos, Chumbo, Mercúrio, Micotoxinas, Pesticidas, Benzofenonas.

Portugal propôs a inclusão do Grupo das Micotoxinas, que foi aceite. Este novo grupo de substâncias em estudo é liderado pelo Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge.

Está a decorrer a consulta para a terceira ronda de priorização para 2020 a 2021. O objetivo desta terceira ronda será identificar prioridades para a investigação na futura iniciativa europeia de biomonitorização humana após 2021.

Com o objetivo de informar os cidadãos sobre cada substância química, as implicações da exposição e de como esta pode ser reduzida têm vindo a ser elaborados factsheets que se pretende venham a ser desenvolvidos para todas as  substâncias prioritárias estudadas no projeto. Já estão disponíveis para consulta, em português, os seguintes:

BISFENÓIS

FTALATOS

CRÓMIO VI

 

 

COMBATE À RESISTÊNCIA AOS ANTIMICROBIANOS

 

https://www.who.int/teams/surveillance-prevention-control-AMR/national-action-plan-monitoring-evaluation/library-of-national-action-plans

https://www.who.int/initiatives/glass

https://www.oecd.org/health/health-systems/antimicrobial-resistance.htm

https://www.cdc.gov/onehealth/index.html

https://www.euro.who.int/en/health-topics/health-policy/one-health

 

 

https://onehealthejp.eu/

https://cordis.europa.eu/project/id/773830

 

 

https://www.dgs.pt/programa-de-prevencao-e-controlo-de-infecoes-e-de-resistencia-aos-antimicrobianos.aspx

https://www.dgav.pt/acessorapido/conteudo/uma-so-saude/