Skip to main content

Redes de Monitorização

Redes de monitorização

As redes de monitorização são uma peça essencial na recolha de informação para responder a diversas obrigações e compromissos do Estado português, nomeadamente:

  • Apoio à definição das políticas de planeamento e de gestão de recursos hídricos;
  • Avaliação e gestão das disponibilidades hídricas nacionais;
  • Avaliação do estado químico e do estado e potencial ecológico dos rios e albufeiras, águas de transição e águas costeiras;
  • Monitorização de substâncias prioritárias, nomeadamente produtos farmacêuticos e desreguladores endócrinos;
  • Avaliação do estado químico e quantitativo das águas subterrâneas;
  • Realização de estudos;
  • Verificação do cumprimento da Convenção de Albufeira;
  • Suporte do Sistema de Vigilância e Alerta de Recursos Hídricos para apoio às atividades da Autoridade Nacional de Proteção Civil, em caso de ocorrência de fenómenos extremos como são as inundações e os incêndios florestais.

 

As redes de monitorização geridas pela APA são as seguintes:

  • Rede hidrometeorológica, composta pela rede meteorológica (561 estações meteorológicas que medem precipitação, velocidade e direção do vento, evaporação, radiação, temperatura, humidade) e pela rede hidrométrica (256 estações hidrométricas que medem níveis hidrométricos, cotas e caudais)
  • Rede piezométrica visa a medição do nível de água subterrânea nas diversas massas de água compreende 602 estações;
  • Rede de qualidade de água subterrânea compreende 848 estações;
  • Rede de qualidade das águas superficiais compreende cerca de 2065 estações em águas superficiais interiores (rios e albufeiras) para avaliação do estado ecológico e do estado químico e 213 estações para avaliação do estado das massas de água de transição e costeiras.