Skip to main content

Sendo a redução das emissões em todos os setores, crucial para limitar o aquecimento global, o transporte rodoviário é fundamental para lograr a transição para emissões nulas de gases com efeito de estufa até 2050.

Em 2017, o transporte rodoviário contribuiu com 21% do total das emissões de dióxido de carbono (CO2) da UE, o principal gás com efeito de estufa, apresentando uma tendência crescente e com níveis significativamente superiores aos de 1990.

Os automóveis de passageiros e os veículos comerciais ligeiros, são responsáveis por cerca de 12% e 2,5% do total das emissões de dióxido de carbono (CO2) da UE.

Em 1 de Janeiro de 2020, entrou em vigor o Regulamento (UE) 2019/631, que estabelece objetivos de redução de emissões de CO2 para automóveis e carrinhas, a partir de 2020, 2025 e 2030 e inclui um mecanismo para incentivar a adoção de veículos com zero e baixas emissões (ZLEV).

Os veículos pesados - camiões e autocarros - são responsáveis por cerca de um quarto das emissões de CO2 do transporte rodoviário na UE e por cerca de 5% das emissões totais da UE. Apesar de nos últimos anos se terem verificado algumas melhorias na eficiência do consumo de combustível, estas emissões ainda estão a aumentar, principalmente devido ao aumento do tráfego rodoviário de mercadorias.

A 20 de Junho de 2019, o Parlamento Europeu e o Conselho adotaram o Regulamento (UE) 2019/1242 que estabelece normas de emissão de CO2 para veículos pesados, com objetivos de redução das emissões médias dos camiões novos para 2025 e 2030.

Para alcançar uma UE neutra para o clima até 2050 e o objetivo intermédio de pelo menos 55% de redução líquida das emissões de gases com efeito de estufa até 2030, está a ser preparada uma revisão do Regulamento como parte do pacote "Apto para 55%".