Skip to main content

Para avaliar a qualidade do ar de uma zona estão disponíveis diversas técnicas devendo ser adotada a estratégia adequada em função dos resultados da avaliação da qualidade do ar. Nas aglomerações a medição fixa é obrigatória.

A avaliação da qualidade do ar de uma zona pode ser efetuada por uma ou mais das seguintes técnicas:

  • Medições fixas usando métodos de referência ou equivalentes - São medições efetuadas num local fixo, quer de modo contínuo quer por amostragem aleatória, a fim de determinar os níveis de acordo com os objetivos de qualidade dos dados.
  • Medições indicativas - São medições que respeitam objetivos de qualidade dos dados menos rigorosos do que os definidos para as medições fixas.
  • Modelação - Uma técnica de simulação dos fenómenos que ocorrem na natureza, que permite estimar a concentração dos poluentes num conjunto de pontos com base num conjunto de variáveis que a influenciam.
  • Estimativas objetivas - São métodos de avaliação que permitem estimar concentrações respeitando objetivos de qualidade menos rigorosos que a modelação.

A definição da estratégia de avaliação de cada zona é feita com base na ultrapassagem, ou não, dos limiares inferiores e superiores de avaliação (LIA e LSA) associados a cada valor-limite (VL) estabelecido para cada poluente:

Numa determinada zona e para um determinado poluente:

  • se a concentração for inferior ao limiar inferior de avaliação na sua avaliação podem ser usadas técnicas de modelação ou estimativa objetiva;
  • se a concentração do poluente se situar entre o limiar inferior de avaliação e o limiar superior de avaliação deverão ser usadas medições que podem ser complementadas com técnicas de modelação na avaliação do poluente;
  • se a zona tiver níveis de qualidade do ar superiores ao limiar superior de avaliação, e nas aglomerações a medição é obrigatória.